O dialecto do mais novo

O MM, 3 anos, está naquela idade linda de falar muito. Fala a toda a hora, no formato relatório do quotidiano. Tipicamente na terceira pessoa do singular: «o Manel vai ao quarto», «agora faz isto», «o mano está ali», «o Manel tirou o comando», «o Manel quer» e por aí fora... Por entre o relato corrido, saltam palavras cruzadas. Nós fartamo-nos de rir e não corrigimos. É uma fase tão gira e queremos aproveitá-la o mais que pudermos. Para além do mais, é uma questão de justiça familiar com o irmão mais velho que teve o mesmo tratamento. E, porque não sou egoísta, partilho convosco algumas pérolas dialecto do pequeno MM.

Comecemos pelas fáceis:
«O carro pára, porque acabou a jegulina
«O Manel quer comer agurte.»
«O Manel teve que ir ao méquido.»
«O Pai está a estudar no quistório»

Outras exigem mais contexto:
«O Manel veste o tijama.» Mas não vai já dormir.
«O João desligou a petijão.» Vamos jantar.
«São coscolinhas.» Costelinhas.
«O Manel está a comer um muçado.» Os flocos de neve são os seus favoritos.
«O Manel também quer o cador.» Esta até eu tive dificuldade de perceber. É computador.
«Onde está o meu toufone.» Um neologismo que até faz sentido, tratando-se de um iphone antigo.
«Quero ir ao nim-nim-jóquico.» Não sei se jardim zoológico leva hífen.

E o eterno campeão das fífias infantis...
«Figolicolico», «figolisco», «ficuíco»...

[fonte: clipartpanda.com]

Etiquetas: , ,